Cuidados com cães no inverno; Veja dicas para deixar o pet mais quentinho

Segundo o especialista Marco túlio Francisco de Oliveira, as temperaturas muito baixas podem causar doenças respiratórias e também de articulação. Veja dicas e cuidados.

Com a queda brusca nas temperaturas em toda a região Centro-Oeste nas últimas semanas, a preocupação em como proteger os animais de estimação aumentou. Os tutores precisam adotar cuidados especiais com os pets nos dias mais frios para evitar doenças respiratórias e articulares, segundo o veterinário, Marco túlio Francisco de Oliveira. Já os animais de rua precisam contar com a solidariedade da população.

O especialista em saúde dos animais explicou que cães e gatos de todas as espécies precisam estar bem aquecidos, no entanto, a preocupação deve ser maior com animais com pelagem mais curta, filhotes e animais mais velhos, já que eles têm dificuldades de controlar a temperatura corporal.

Nos animais essa temperatura varia de 38º a 39º, segundo Marco Túlio, sendo que essa temperatura está relacionada à raça do animal. Alguns de regiões mais frias têm maiores condições de passar por dias de inverno sem apresentar agravantes na saúde.

“Animais que mais sofrem com o frio são os com menor peso, porque têm menos escorio corporal e também os que têm menor cobertura de pelos. Por isso, como exemplo, o pinscher é um desses cães que mais vão sofrer”, destacou.

Exatamente por saber disso a enfermeira Marina Diva faz questão de cuidar em casa das cadelas Liz e Flor. Elas são da raça pinscher e vivem agasalhadas, seja nas cobertinhas dentro da casinha preparada para elas ou com as roupinhas que Marina faz questão de colocar nas duas cadelinhas.

“A sorte é que elas gostam das roupinhas, justamente porque mantém elas aquecidas o tempo todo. faço questão de que elas fiquem agasalhadas no inverno”, disse.

Animais de rua

Sem ter como falar, os cães de rua são os que mais sofrem com o inverno. Assim como os humanos eles também sentem dores articulares e podem resfriar. Sem um local adequado para ficarem eles estão sempre em vulnerabilidade e por isso, precisam contam com a solidariedade da comunidade para ajudar.

“A forma que a população tem de ajudar é justamente abrigar esses animais, seja na própria casa ou fazendo abrigos como casinhas para eles. O ideal é fazer o que for possível. Quanto menos expostos eles ficarem ao ambiente externo de frio, melhor será para eles. isso vale para qualquer animal, sejam os cães ou gatos”, pontuou Marco Túlio.

A dona de casa Maria Augusta, tem dois cães em casa que sempre estão protegidos no frio, por isso, a preocupação dela é com os animais que estão nas ruas. Na intenção de ajudar ele montou que pequena casinha na calçada onde colocou ainda um cobertor e também disponibiliza comida e água para todos os animais que passearem pelo local.

“Meu coração dói só de pensar no frio que esses animais sentem nas ruas. Eu quis fazer alguma coisa por eles e arrumei uma casinha onde qualquer um pode ficar quando se sentir à vontade. Também deixo disponível comida e água, que eu reponho todos os dias”, contou.

Confira os principais cuidados:

  • O especialista orienta que é ideal preparar ambiente em que o animal fica com caminhas, cobertores e uma roupinha para aquecê-lo. Mas, ele alerta que é necessário manter cuidados com essas roupas e mantê-las higienizadas para não causar um problema dermatológico na pele posteriormente;
  • Sobre os banhos, eles precisam ser com água morna e em locais sem corrente de ar, para preservar a saúde respiratória dos bichinhos. A água fria pode causar resfriados nos animais;
  • Por conta dos agravantes na saúde que podem acontecer, cães e gatos mais velhos ou filhotes precisam estar sempre aquecidos no inverno, por isso o cuidado deve ser redobrado com estes bichinhos especificamente;
  • Banhos de sol também ajudam a elevar a temperatura corporal dos animais, segundo o especialista.

fonte: https://g1.globo.com/mg/centro-oeste/noticia/2021/07/04/veterinario-em-divinopolis-alerta-tutores-sobre-cuidados-com-caes-no-inverno-veja-dicas-para-deixar-o-pet-mais-quentinho.ghtml