Plantas podem oferecer risco de vida aos pets

Tutores devem ficar atentos ao que os animais comem, principalmente quando se trata de plantas desconhecidas, já que elas podem ser venenosas

O poodle da funcionária pública Christiane Sanches, o Fred, era apenas um filhotinho, por volta dos quatro ou cinco meses de idade, quando ficou sozinho após todas as pessoas da casa saírem para seus compromissos de trabalho e estudo, há alguns anos. Quando a tutora voltou, o cãozinho estava estranho, sem conseguir se sustentar em pé, caindo a todo momento. Ela ficou atenta, mas só entendeu o que estava acontecendo quando animal vomitou um pedaço de uma folha da planta Dieffenbachia seguinte, conhecida popularmente como Comigo-ninguém-pode.

Ao perceber o envenenamento , correu para leva-lo ao veterinário, onde já chegou muito debilitado e frágil e precisou ficar internado por três dias.

Continua após a publicidadehttps://a02522cca084be61ed7915cbd6a3a72b.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Christiane conta que não sabia do tamanho do perigo que estava guardando dentro de casa. “Eu sabia da toxidade dela, mas não imaginava que fosse tão forte. Fred sobreviveu e eu tirei a planta de dentro de casa, onde ele ficava a maior parte do tempo”, diz.

É muito comum tutores verem seus cães ingerindo grama e outas plantas sem valor nutricional. Há inclusive um mito de que os cachorros podem fazer isso para indicar aos seus tutores que estão doentes, numa tentativa de se automedicar, já que eles podem vomitar após ingerir determinadas espécies vegetais.

Algumas pesquisas sugerem que o motivo da ingestão de plantas não tem correlação com doenças, carências nutricionais ou distúrbios digestivos, já que vem sendo observado que cães com problemas intestinais tendem a comer menos grama que cães saudáveis. A atitude de ingerir plantas, na verdade, é o que pode representar o verdadeiro risco à saúde dos animais.

A história de Fred se repete constantemente com outras plantas e outros pets. Em um grupo de troca de informações sobre animais de estimação no Facebook é possível encontrar vários relatos sobre esse tipo de situação.

A internauta Lais Atkocius conta uma experiência negativa que teve também com a Comigo-ninguém-pode: “Meu cachorro passou mal ao comer essa planta. A boca ficou parecendo uma bola de futebol americano”, diz.

Planta Comigo-ninguém-pode
Reprodução/YoutubePlanta Comigo-ninguém-pode

Já Gisele Nunes relata que sua gatinha preta teve problemas graves de saúde ao comer um “lírio da paz”, uma flor branca: “Ela teve gastrite severa e início de intoxicação. Foi um susto de mais de R$ 2 mil para recuperação dela”, conta.

De acordo com o veterinário Raphael Clímaco, não é verdade que os pets comam plantas para indicar aos tutores que estão doentes. O que ocorre é que eles podem ficar encantandos com as cores e o movimento das plantas e, por isso, querer brincar com elas, colocando na boca, principalmente quando são filhotes que podem estar passando pela fase oral do desenvolvimento.

“Tudo o que ele vê, ele quer por na boca. Então, vai colocando a planta, mordendo, brincando. A planta está sempre em movimento e tem cores vivas. O cão fica encantando e quer provar com a boca. A depender da planta que ele ingere, isso pode gerar um quadro até de emergência , fazendo muito mal a ele e até levar a óbito”, alerta o veterinário.

Fonte: Canal do Pet – iG @ https://canaldopet.ig.com.br/guia-bichos/2021-02-27/plantas-podem-oferecer-risco-de-vida-aos-pets.html